Blog do Valmir - Laguna


Blog do Valmir em novo endereço

Prezados, o novo endereço do Blog é:

 

 

 

http://valmirguedes.blogspot.com.br/



Escrito por valmir guedes júnior às 21h40
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Nota de falecimento+

Faleceu ontem em nossa cidade, Luiz Paulo dos Reis, aos 74 anos, o conhecido Pombo, o mais antigo músico integrante da centenária Banda União dos Artistas. Foi também baterista da Banda Paramount que tocava nos carnavais da cidade, na década de 60. O folclórico “pombo” sofria do diabetes há alguns anos.

Ainda em novembro de 2010, no Clube União Operária, foi um dos homenageados pelo Movimento Negro de nossa cidade, na Semana da Consciência Negra

Sepultamento ocorreu às 18 horas desta quarta-feira, com o cortejo fúnebre sendo acompanhado por músicos da Banda União dos Artistas.



Escrito por valmir guedes júnior às 17h24
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Polêmica

Nos últimos dias a polêmica tomou conta de certo segmento da população lagunense por conta de uma crônica do professor Ronaldo Sant’Anna no jornal Diário do Sul, de Tubarão.

Para ler a matéria clique aqui:

 http://www.diariodosul.com.br/?codcol=22&busca_nome=BUSCAR&todos=1&pag=colunistas_  

 

No escrito, sempre atualizado às terças-feiras, o professor pede, em manchete, que não venham para o carnaval da Laguna e lista diversos problemas da cidade neste período, como o som alto, bagunça, bebedeiras, violência, drogas.

O puro bairrismo entrou em cena e o colunista está sendo massacrado nas redes sociais e em alguns sites e blogs.

 

Meto a colher de pau no assunto, eu que não sou de ficar em cima do muro, vocês sabem e me acompanham.

De tudo que o professor escreveu discordo da maneira que ele escreveu,  de certas palavras ofensivas e frases que utilizou e principalmente de sua manchete, “Não vá a Laguna”. Mas na matéria estão contidas muitas verdades. Nada diferente do que é dito e escrito por muita gente.

O maior problema, além da manchete infeliz, é porque o texto é de alguém de Tubarão. E aí o bairrismo explícito veio à tona. Só isso.

 

Podemos não concordar com o texto, em parte ou em todo, mas o professor tem o direito de se manifestar, ou não é assim?

Tem gente que acha que liberdade de expressão é só permitida pra si; opinião diferente partindo de outro e em não se concordando tem que proibir, pedir a cabeça do colunista ao jornal, ou a rádio, em suma, boicotar o órgão de imprensa, proibir sua venda na Laguna, e se possível censurá-lo.

 

Há até político lagunense, numa sugestão infeliz e sem precedentes, dizendo que tem que pedir a cabeça (emprego) do professor à Unisul. Um absurdo, métodos nazistas sendo propostos, ideias de ditadores, de quem acha que pode tudo. Essa gente sim! está exagerando nos comentários no facebook, nos ataques pessoais ao professor e colunista, inclusive com utilização de palavrões, ofensas e propostas de retaliações.

 

Cabeça por cabeça tem que pedir é a de certos políticos lagunenses que não fazem nada pela cidade, engabelam e traem seus ideais e os votos dos antigos amigos. Ganham na moleza.

Mas para mudar esses políticos existem as eleições. É decisão do povo.

 

Sinceramente se essa revolta, esse repúdio dos leitores pelo texto do professor, se esse grito fosse igual para os problemas de nossa cidade, se tudo que está sendo dito e escrito sobre o caso fosse direcionado aos administradores, aos políticos que enganam a população, a certas autoridades lagunenses, muita coisa mudaria, problemas seriam facilmente solucionados.

Causa-me estranheza que dezenas de problemas que enfrentamos, há tanto tempo, não mereçam essa mesma indignação por parte de alguns. Uma linha sequer. Há pessoas deixando comentários nas redes que nunca (ou quase nunca se manifestaram sobre problemas da nossa Laguna.

 

Há também lagunenses que não admitem blogs, radialistas e colunistas críticos. Dizem que criticar não ajuda e que temos que somente elogiar.

Olha, sinceramente, para elogiar, para puxar o saco de administradores públicos, políticos e certas figuras carimbadas da Laguna, já existem por aí muitos colunistas, radialistas e blogueiros.

 

Aliás, muita gente pelas internas, nos bastidores, mete o pau, mas na frente dos políticos, externamente, são vistos bajulando, babando elogios, comemorando em festas. Dóceis, dóceis.

Há até quem não escreva comentários, não se manifeste sobre os inúmeros problemas da cidade, para não queimar o filme, porque há muitos interesses em jogo, como favores, empregos para si, mulher e filhos, uma mamata qualquer, etc. Ou porque simplesmente não quer se incomodar.

 

O grande filósofo do Iluminismo, Voltaire, foi profundo quando escreveu:

“Posso não concordar com nenhuma das palavras que você disser, mas defenderei até a morte o direito de você dizê-las”.



Escrito por valmir guedes júnior às 14h01
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Começou a 1ª etapa de revitalização do prédio do Cine Mussi

Camarins serão construídos e sanitários ampliados, diz Iphan

 

Começou semana passada as obras da 1ª etapa de restauro e revitalização do prédio do Cine Mussi, adquirido pelo Ministério da Cultura.

Nessa 1ª fase, orçada em R$ 1 milhão 200 mil, um anexo será reformado e ampliado, com construção de camarins e banheiros. Também deverá ser providenciada a infraestrutura para geradores e o ar condicionado.

O novo anexo, ficará no espaço interno entre as lojas da rua Osvaldo Cabral e o teatro.

Os recursos vieram do Ministério da Cultura, que já investiu na compra do teatro o valor de R$ 800 mil e no projeto de revitalização R$ 86 mil.

 

 

Fotos: Secretaria de Comunicação da Prefeitura da Laguna.

 

 

 

 

A segunda etapa será destinada à recuperação do edifício e adequação do palco.

De acordo com a arquiteta do Iphan da Laguna, Ana Paula Citadin "esta ação é hoje entendida como prioritária, por vislumbrar a melhoria da qualidade de vida da comunidade e principalmente, para aumentar a visibilidade e o envolvimento da população com suas produções culturais, atentando à valorização do patrimônio histórico e cultural da cidade".

 

Poltronas estão sendo doadas

Diz o Iphan que grupos organizados, igrejas e escolas interessadas nas poltronas do Cine Teatro Mussi podem entrar em contato com o Iphan. O órgão está doando os móveis. Novas poltronas serão implantadas conforme os padrões modernos. Ao todo são 900 cadeiras em bom estado.

Ainda esta semana um caminhão com placas do município de Siderópolis foi visto carregado com dezenas de poltronas retiradas do local e que partiram de nossa cidade.

 

 

Foto: Valmir  Guedes Jr.

 

Há quem questione a retirada dessas poltronas. Não haveria maneira de conservá-las, recuperá-las e aproveitá-las? Afinal fazem parte de uma longa história de gerações, adquiridas que foram no ano de 1950, com bancada em couro, da empresa Móveis Cimo, de Rio Negrinho.

E por que a retirada agora, tão rapidamente, nessa primeira etapa de revitalização?



Escrito por valmir guedes júnior às 13h19
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




O pré-carnaval tem que mudar

Já escrevi aqui – e o leitor pode conferir clicando ao lado, em fevereiro de 2007 – que o pré-carnaval da Laguna tem que passar por uma ampla reformulação. A continuar da mesma forma tende a desaparecer, como tanta coisa da nossa Laguna.

A cada ano que passa o pré está com menos público, não há atrativo maior (ou alguém vai querer me convencer que muita gente vai sair de casa para assistir a mesmice de somente ensaios de baterias?).

 

Carnavalescos mais preocupados com o nosso carnaval já defendem mudanças.

O que estará causando o desinteresse pelo pré?

Vários fatores. Vê se você concorda comigo, leitor:

 

- A televisão e a internet exercem forte atração para o sujeito não sair de casa;

- Medo da violência na rua. Falta de segurança é uma constante;

- As Escolas de Samba no pré, me diz um dirigente, também estão com dificuldades de arregimentar componentes;

- Horário cada vez mais tardio das apresentações. Na primeira noite, quando desfilaram as cinco Escolas, a última a sair foi Os Democratas. Passava das 4 da manhã. E mesmo nas demais noites, com apenas duas, três Escolas, o desfile acaba por volta da uma hora, duas da manhã;

- Os dirigentes do carnaval lagunense, junto com autoridades do município, mais representantes do comércio que gostem do carnaval e queiram preservar a tradição carnavalesca, têm que se debruçar sobre o tema em busca de soluções. Mas com visão ampla, sem ranço e sem ser dono da verdade;

- Pode-se pensar até em mudanças de local. A rua Raulino Horn sinceramente já cumpriu o seu papel. Quem sabe o pré-carnaval sendo realizado na rua Gustavo Richard, ou Jerônimo Coelho, com instalação de arquibancadas?

- Quem chega hoje na cidade (ou passa pelo trevo na BR-101) não percebe que está acontecendo um pré-carnaval na Laguna. Não existe sequer um out-door convidando para o evento;

- Falta uma ornamentação na via do desfile, nem que seja de “prástico” como acontecia há muitos anos, lembram? Fundação Lagunense de Cultura da prefeitura deve achar que meia-dúzia de pequenos holofotes bastam para iluminar e abrilhantar a festa. A rua Raulino Horn, sinceramente, continua escura;

- Por falar em ornamentação, praticamente não se vê uma casa comercial da Laguna, suas vitrines, ornamentadas com motivos carnavalescos visando criar e manter um clima. Aliás, onde estão as casas comerciais que vendem fantasias e material para o carnaval? Saudades da Casa Nova Baiana, do Batista Abrahão.

- Durante o dia e nas duas semanas anteriores, as duas Bandas da Laguna deveriam sair pelas ruas tocando marchinhas de carnaval e convidando o público, inclusive no Mar Grosso;

- Mais apresentações do Grupo Folclórico Boi de Mamão e o retorno da Bandinha Maluca;

- Etc. etc.

 

Evidente que o tema carnaval é amplo e suscita discussões, ideias e sugestões as mais variadas. Além de dinheiro, evidentemente. Mas há que se fazer algo e urgentemente, através de reuniões com os mais variados setores interessados.

Mesmo que certas autoridades, pelas internas, digam que o carnaval das Escolas de Samba já era, que o que vale mesmo é o carnaval chamado de praia, com seus trios elétricos e bandas, seus blocos em recintos fechados, com todo e discutível gosto musical.

Há espaço para todas as mais variadas manifestações carnavalescas, mas não esqueçamos que Laguna ficou conhecida nacional e internacionalmente pelo seu carnaval de Escolas de Samba, tradição que precisa ser preservada.



Escrito por valmir guedes júnior às 07h57
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Museu Anita Garibaldi está fechado há quase dois anos

As obras de restauração e revitalização do Museu Anita Garibaldi,  realizadas pela prefeitura da Laguna com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES, estão com seu cronograma atrasado. E bastante atrasado! prejudicando o chamado turismo histórico de nossa cidade.

Diariamente turistas procuram o local e o encontram fechado.

 

 

 

Veja só: o Museu foi fechado à visitação pública em 24 de março de 2010. Somente cinco meses depois, em 17 de agosto de 2010 é que as obras finalmente iniciaram. O valor total de restauro é de R$ 423.130,39.

A data de conclusão da restauração e revitalização do Museu constante na placa afixada em frente ao prédio é de 17 de abril de 2010, portanto já se passaram mais de nove meses da data da entrega.

Contribui para o atraso as diversas modificações feitas no projeto, solicitadas pelo Iphan.

 

Por exemplo: depois de tudo pronto, parte da calçada já rejuntada ao redor do prédio feita em pedra-ferro teve que ser arrancada para ser substituída pelos chamados pavers. Isso foi feito para facilitar a vida dos cadeirantes, me informaram. Mas por que já não estava previsto no projeto? E, convenhamos, as lajotinhas destoaram completamente do local.

Falta a instalação de um elevador interno no Museu - que dizem estar comprado só necessitando de técnicos para sua instalação - recuperação da iluminação externa hoje totalmente estragada, e recolocação do sino. Além, evidentemente, da montagem de todo o acervo que foi retirado e encontra-se depositado em vários locais da cidade.



Escrito por valmir guedes júnior às 10h21
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Nota de falecimento+

 

 

 

Faleceu ontem, quinta-feira, 19, em nossa cidade Erwin Rubi Peressoni Teixeira, o dr. Erwin, juiz de Direito aposentado, aos 79 anos. Seu corpo está sendo velado na sala mortuária Santo Antônio dos Anjos (ex-cine Roma). Sepultamento ocorre na tarde desta sexta-feira, às 16 horas, no cemitério da Irmandade. Deixa os filhos Erwin, Willian, Cecilia e James.

 

###

 

Conheci o dr. Erwin na década de 70, sempre com seu inseparável charuto e sua coleção de veículos antigos, entre os quais sempre se destacava o Ford T 1923, o famoso Ford bigode, sua grande paixão. Mas eu era um guri e ele já um senhor e juiz da Comarca da Laguna.

Foi um dos fundadores da Associação Catarinense do Ministério Público- ACMP, que no próximo dia 31 de janeiro completa 53 anos.

Primeiro Promotor Público em Braço do Norte

Em abril de 1961 foi empossado no cargo de juiz substituto e em seguida assumiu a Comarca da Laguna.

Membro da Associação dos Magistrados Catarinenses (AMC).

 

Nos últimos anos o entrevistei em sua casa, no Mar Grosso – onde sempre fui muito bem recebido – sobre vários assuntos lagunenses.

Falamos sobre o Rádio da Laguna, programas e locutores, além de apresentações musicais no palco da Difusora (dr. Erwin tocava gaita juntamente com . Cláudio Rodrigues Horn e Manoel (Nelinho) Ferreira).

As conversas sempre eram para ser de uma hora, não mais que isso, mas se prorrogavam por tardes inteiras, porque um assunto puxava outro, eu relembrava fatos, ele também e assim íamos montando quebra-cabeças. E eu anotando.

 

Também fiz uma longa entrevista para o meu livro sobre o encalhe do navio Malteza S.

Dr. Erwin era o Juiz da Comarca da Laguna à época dos fatos, em 1979, e foi quem determinou, corajosamente, a entrada na embarcação, já que o Itamaraty não se pronunciava.

 

Ainda há pouco mais de um mês nos encontramos, vizinhos de mesa, num jantar do Rotary, no Pub do Plabo Massih, ali no Balneário Mar Grosso. Foi quando fiz a foto acima.

Dr. Erwin quase não mais comparecia em eventos, o diabetes já lhe afetava a visão. Mas tão logo começamos a conversar ele, que já se preparava para ir embora, animou-se com a conversa, o que provocou o seguinte comentário de sua filha Cecília, a Cice:

- Valmir, o pai agora se encontrou contigo e o papo vai longe.

 

Dito e feito. Por mais de três horas relembramos fatos e nomes, comentamos sobre a política passada e atual, acontecimentos da nossa Laguna, discursos e decisões tomadas no Fórum da Comarca de nossa cidade.

 

De família tradicional, ele foi testemunha e partícipe de muitos acontecimentos de nossa terra, entre eles o tombamento do Centro Histórico do qual foi um dos signatários e depois se arrependeu da maneira como o tombamento foi realizado e deixou isso registrado quando protestou numa reunião com autoridades do setor, no Clube Congresso e foi bastante aplaudido. Ao contrário de outros que assinaram o documento e escondem o fato.

 

Um dos nossos assuntos prediletos era a não vinda para Laguna do poeta Simbolista Cruz e Sousa como promotor de Justiça, impedido por preconceito racial por certa elite lagunense da época.

Sempre nos questionávamos: se Cruz e Sousa tivesse vivido aqui, mesmo que por um breve período, quantos poemas não teria escrito sobre a nossa Laguna? Quem sabe até mesmo o vento sul, o velho vento vagabundo da Ilha, por aqui seria eternizado como o velho vento nordeste?

 

Em julho de 2010, dr. Erwin esteve presente no lançamento do meu livro sobre o Malteza, no Congresso Lagunense e na publicação, páginas 88/89, consta uma entrevista sua.

Quando do citado evento selecionei um repertório de músicas de Nat King Cole, Ella Fitzgerald e Louis Armstrong. Ao receber o livro das minhas mãos, além de desejos de sucesso literário, completou:

- Valmir, as doze colunas deste Clube há muitos anos não ouviam músicas de tal qualidade.

 

Além de sua inteligência, eu gostava do dr. Erwin por ele ser verdadeiro – uma das qualidades que mais aprecio  no ser humano – e por isso mesmo, e consequentemente, não era hipócrita, medíocre, nem falso.

Vai fazer falta no cenário lagunense e deixar muitas saudades em familiares e amigos.

 

Que vá em paz na derradeira viagem, como nos versos de Cruz e Sousa:

 

(...)

Que eu me liberte das ânsias
De ansiedades me liberte,
Pairando no espasmo inerte
Das mais longínquas distâncias.

(...)

 

 



Escrito por valmir guedes júnior às 06h58
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




De que riem os poderosos?

Esta semana, na avenida Colombo Machado Salles, defronte ao Centro Administrativo Tordesilhas, onde se situam a prefeitura e a SDR, um turista com sua família praticamente teve o assoalho e cano de descarga de seu automóvel destruídos ao passar pela avenida, cheia de buracos, remendos e enormes lombadas que se formaram nas lajotas, numa obra de repavimentação mal feita e mal fiscalizada.

 

O barulho do choque, do arrastar do pavimento no metal do fundo do carro foi tão alto que atraiu a atenção de muita gente.

O turista com sua mulher e filhos parou mais adiante, saltou do carro para observar o estrago e xingou muito. Não era para menos. Imaginem qual a imagem que vai levar da cidade onde nem bem chegou e já arrebentou seu carro?

 

Casualmente um conhecido político lagunense passava pelo local e foi visto rindo do acontecido.

 

Por que gargalhas, oh ímpio? Por que ris o riso das hienas famintas da desgraça alheia? Por acaso a dor do próximo te faz cócegas, oneroso aspone?

 

E aí me lembrei daquele poema "De que riem os poderosos?", contido em A Catedral de Colônia, obra de 1985, de Affonso Romano de Sant' Anna:

 

De que riem os poderosos?

 

De que riem os poderosos?

tão gordos e melosos?

tão cientes e ociosos?

tão eternos e onerosos?

 

Por que riem atrozes

como olímpicos algozes,

enfiando em nossos tímpanos

seus alaridos e vozes?

De que ri o sinistro ministro

com sua melosa angústia

e gordurosa fala?

 

Por que tão eufemístico

exibe um riso político

com seus números e levíticos,

com recursos estatísticos

fingindo gerar o gênesis,

mas criando o apocalipse?

 

Riem místicos? ou terrenos

riem, com seus mistérios gozosos,

esses que fraudulentos

se assentam flatulentos

em seus misteres gasosos?

 

Riem sem dó? em dó maior?

ou operísticos gargalham

aos gritos como gralhas

até ter dor no peito,

até dar nó nas tripas

em desrespeito?

Ah, como esse riso de ogre

empesteia de enxofre

o desjejum do pobre.

 

Riem à tripa forra?

riem só com a boca?

riem sobre a magreza dos súditos

famintos de realeza?

riem na entrada

e riem mais

na sobremesa?

 

Mas se tanto riem juntos

por que choram a sós,

convertendo o eu dos outros

num cordão de tristes nós?



Escrito por valmir guedes júnior às 13h51
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Nota de falecimento+

Faleceu agora pela manhã, Antônio de Pádua Heleodoro de Souza, aos 62 anos, conhecido carinhosamente como moela. Seu corpo está sendo velado na sala mortuária Santo Antônio dos Anjos (ex-cine Roma). Sepultamento ocorre amanhã, às 10 horas, no cemitério da Irmandade.

Foto: gefotografia.blogspot.com

Foi vereador em nossa cidade, nos anos 70, pelo PDS; chefe de gabinete dos prefeitos, Mário José Remor e João Gualberto Pereira; presidente da Sociedade Musical Carlos Gomes, em sua gestão, juntamente com Carlos Araújo Horn, foi lançado o CD da Banda; membro da Irmandade Santo Antônio dos Anjos; além de participar ativamente de inúmeros eventos sociais e religiosos da sociedade lagunense.

Casado com Jadna, teve os filhos Didi, Giseli e Josué.

Sentimentos aos familiares e amigos.

 



Escrito por valmir guedes júnior às 12h34
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Confraternização do CEAL

Funcionários, familiares, professores, diretores e assessores do Centro Educacional Almirante Lamego – Ceal, reuniram-se na noite desta segunda-feira, no restaurante e pizzaria Chedão para um jantar de confraternização de fim de ano.

Na organização do evento, o dinâmico professor Danilo Prudêncio da Costa, sempre aglutinando o pessoal.

 

  

 

  

 

  

 

 

  

   

    

 

  

 

  

 

  

 

  

 

 

 

 

 

 

 

 



Escrito por valmir guedes júnior às 07h31
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Muita gente está cansada. Eu, inclusive

Um conhecido me diz na rua que está decepcionado com tudo, com os políticos, com o Brasil, com Laguna.

Que está cansado de reclamar, de criticar, de pedir providências para os problemas de nossa cidade e nunca é atendido.

No passado - ele continua falando - até ligava para alguns programas de rádio da cidade, os que deixam o ouvinte falar, como o do radialista Barreiros, mas agora nem isso ele mais faz. (Clareando a frase que deixou dúvidas no radialista Barreiros, o leitor/ouvinte disse que não liga mais porque ele leitor/ouvinte cansou de reclamar e da passividade da população). E explica:

 

- Os administradores não tomam providências quando a gente pede e os vereadores não estão nem aí, aprovam tudo e querem ser todos amiguinhos e só pensam na eleição do ano que vem, fazendo conchavos e dobradinhas aqui e em Pescaria Brava, desabafa.

 

Pois é.

 

Veja leitor, eles pensam nunca estar errados. A tática usual primeiramente é ignorar as reclamações, as críticas, matar quem o faz no cansaço; depois, em segundo lugar, é negar o acontecido, não assumir, mesmo com fotos, com filmagens, com números, com depoimentos; depois vem a etapa seguinte que é a de tentar desqualificar o interlocutor.

E aí tome ser chamado de mentiroso, de reacionário, de burguês, de direita. Os xingamentos são os mesmos, há décadas. Não mudam.

E aí você vai ver de onde partem e logo percebe que são pronunciados por áulicos, por bajuladores dos poderosos de plantão, de gente que está mamando e não pode perder a teta da viúva, as úberes úmidas e fartas que alimentam às vezes um, dois, três, quatro membros da mesma família.

 

Um deles, numa rede social chegou a acusar um interlocutor lagunense que ainda se pronuncia sobre os problemas da cidade, de ser de “direita”. E fala isso na maior cara de pau, sem incoerência alguma, logo eles que nacionalmente estão coligados com os partidos ditos da direita comandados por medalhões como Maluf, Sarney, Collor, entre outros que tanto combateram no passado e que hoje beijam e abraçam.

Esquecem que aqui na Laguna estão coligados com o PP, o partido que no passado foi o PPB, PPR, PDS e antes se chamava Arena, que eles tanto combateram na ditadura.

Então hoje por causa da chamada governabilidade pode-se fazer qualquer pacto? O importante é chegar ao poder? Pode-se chamar alguém de direita, de esquerda hoje neste país?

 

Digo: Eles são contra o estado burguês explorador, mas logo que chegam ao poder tratam de viver como burgueses, adquirindo luxuosos automóveis e imóveis, bebendo caríssimos vinhos e uisques e fazendo turismo por conta do contribuinte. São contra, mas exploram o estado burguês, entenderam?

E ficam destilando chavões marxistas vencidos em suas conversas de bares e nas redes sociais. Mas não enganam mais.

Outros se dizem democratas, mas não admitem o contraditório. Eles querem ser a verdade e a vida conduzindo o rebanho perdido que não sabe o que quer.

O rebanho somos todos nós – para eles – inocentes úteis.



Escrito por valmir guedes júnior às 18h08
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Árvores do Jardim Calheiros da Graça estão secando

Várias pessoas que ainda se preocupam com a nossa cidade vêm constatando, há algum tempo, que muitas árvores do Jardim Calheiros da Graça, na nossa principal Praça, a Vidal Ramos, defronte à Matriz, estão secando.

Folhas amareladas, ramos e troncos secos, rachados, já fazem parte do cenário e o fenômeno parece atingir inclusive as oito palmeiras imperiais.

O que está causando o problema?

 

Para alguns entendidos no assunto, o fato deve-se à grande quantidade de parasitas nas árvores, que precisam ser removidas.

As parasitas retiram os nutrientes das árvores. Muitas delas no Jardim estão infestadas de cipó-chumbo. (Veja as fotos abaixo).

Outros afirmam que o problema estaria na pouca drenagem do terreno após as obras que foram realizadas no local. Solo teria ficado impermeabilizado.

Há ainda quem defenda que tudo resulta da não realização de podas periódicas.

Pragas, fungos, drenagem, nutrientes do solo, falta de poda, algum fator pode estar causando o problema que vem interferindo na função fotossintética das plantas.

A Árvore de Anita há muito tempo vem definhando e poucos ramos ainda restam.

 

O que se pede é a interferência da Flama – Fundação Lagunense do Meio Ambiente para analisar a situação. E o Ibama o que pode nos dizer? E o Iphan, afinal o local é patrimônio histórico-paisagístico?

Pergunto: Há algum estudo técnico feito por botânicos? Um inventário das árvores da cidade? Quais as normas de proteção do patrimônio paisagístico do município?

 

Em tempo: Nem toda planta que vive em cima de uma árvore é destruidora. Sabe-se que a planta conhecida popularmente como barba de velho ou barba de bode é um tipo de bromélia que não tem nada de parasita, ela somente se apóia sobre as árvores, assim como as orquídeas.

As mais conhecidas parasitas são a erva-de-passarinho e o cipó-chumbo.

 

Cipó (uma parasita).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Escrito por valmir guedes júnior às 09h13
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




100 anos de Grupos Escolares - Jerônimo Coelho

Diário Catarinense desde o último domingo está trazendo reportagens sobre Grupos Escolares de Santa Catarina.

Na segunda-feira, em matéria assinada por Júlia Antunes Lorenço, foi abordado o Grupo Escolar Jerônimo Coelho, o segundo fundado no estado e que completa cem anos em 12 de dezembro do ano que vem. Hoje chamada de Escola de Educação Básica - Integrada, tendo como diretora Mônica Sant'anna.

 

Nas páginas impressas algumas fotos do estabelecimento e da diretora que marcou época, Hilda Soares Bicca. Professora Nêmesis de Oliveira foi a diretora anterior a dª Hilda e também marcou sua trajetória.

+++

Fiz os dois últimos anos do Primário no Jerônimo Coelho, anos de 1969 e 1970, professoras Marta Bonazza Viana e Mirtes Rosa, a quem devo o ensino das primeiras letras e os ensinamentos. Professora e diretora Hilda Soares Bicca era exemplo de disciplina, austeridades e educação. Firme e forte, dando ordens a todo o momento. Até hoje ressoa em minha memória – e na de muitos alunos e professores – a voz de dª Hilda chamando a atenção de todos:

 

- Meninos, posição sentido, mãos espalmadas coladas ao corpo, calcanhares unidos para cantarmos o Hino Nacional.

 

Hino Nacional, Hino à Bandeira, Hino da Independência, Hino da Laguna, Hino da Escola em homenagem ao patrono:

 

“Lutador incomparável

filho do nosso torrão

eu te oferto neste canto

a sincera saudação

A ti Jerônimo Coelho

eu dedico com fervor

este canto entusiasta

que transpira o nosso amor.

A Laguna não se esquece,

Desse nome consagrado

E cantando ela revive

Os seus feitos consumados (bis)"


(Letra e música do saudoso Agenor dos Santos Bessa).

 

Todos os dias, antes do início das aulas, perfilados nos corredores e sempre um aluno sendo escolhido para hastear o pavilhão nacional.

Rispidez e castigos para quem o não fizesse corretamente. Nunca dei motivo, mas pavor maior de todos nós era ter que comparecer ao gabinete da diretora. Descompostura e anotação na caderneta para os pais.

Tão ao contrário de hoje onde pais vão tomar satisfação de professores e diretores nas Escolas; tão ao contrário de hoje onde por qualquer motivo a Promotoria de Infância e Juventude é buscada para resolver qualquer pendenga; tão ao contrário de hoje onde há muitos direitos e poucos deveres; tão ao contrário de hoje com salários aviltantes pagos aos mestres de todos nós.

Sinceramente, com orgulho e saudade, posso dizer que a gente era feliz e não sabia.

 

Para ler a matéria clique em:

 

http://www.clicrbs.com.br/diariocatarinense/jsp/default.jsp?uf=2&local=18§ion=Geral&newsID=a3560213.htm



Escrito por valmir guedes júnior às 18h11
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Cachorros são desovados em Barbacena, na Laguna

Redes sociais como o Facebook estão trazendo diversas fotos de cachorros mortos que foram encontrados semi-enterrados num terreno baldio na localidade de Barbacena, Laguna.

Pelas imagens feitas e depoimentos de algumas pessoas que - atendendo uma denúncia anônima - estiveram no local, são cerca de vinte animais vítimas de zoocídio, maioria dentro de sacos plásticos.

Um profissional da área ao observar as imagens disse que os animais foram mortos há pelos menos dez dias.

O fato e as fotos revoltaram muita gente. E não é para menos.

Evidentemente, e por enquanto, não se sabe quem lá desovou esses animais, isso caberia as Policias Civil e Militar desvendar através de investigações, busca de testemunhas bem como exames toxicológicos para saber se houve envenenamento coletivo.

Se fosse filme policial americano uma das medidas seria recolher as impressões digitais – se existem - dos sacos plásticos, mas estamos no Brasil.

Soube que a Polícia Ambiental da Laguna foi acionada e esteve no local averiguando o fato.

Ministério Público também deveria atuar na intenção de buscar responsabilidades e descobrir o(s) zoocida(s).

E os vereadores lagunenses não vão se manifestar?

Veja algumas fotos:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

P S: A Rede TVBV em reportagem de Denise de Medeiros mostrada no noticiário da noite de segunda-feira também abordou o ocorrido:

 

http://www.tvbv.com.br/canais/noticias/nova_denuncia_relacionada_a_canil_municipal_de_laguna.html

 

 

O RBS Notícias da mesma noite, em reportagem de Rodrigo Speck, com imagens de Ronaldo Matas, também trouxe o fato, inclusive entrevistando a presidente da Solpra Éden Silveira Araújo:

 

http://mediacenter.clicrbs.com.br/templates/player.aspx?uf=2&contentID=223579&channel=47

 

 

 

 

 

 



Escrito por valmir guedes júnior às 15h27
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Há mais de dois meses draga está parada. Por que parou? Parou por quê?

Lembra daquela pequena draga Cidasc II que depois virou Santa Paulina e que iria dragar todo o trecho da Lagoa Santo Antônio da “escadinha” (ao lado do Angeloni) até imediações do antigo Arroz Zilmar?

Pois há mais de dois meses está completamente parada, atracada nas águas da Lagoa, atrás do Mercado Público. Não há movimentação, os operários já foram embora.

 

Ninguém diz nada, não se lê uma nota no site da prefeitura ou em jornais, não se ouve radialista ou vereador indagando pela situação.

É tão estranho.

 

A draga, você lembra, até porque foi amplamente noticiado, inclusive nesta página, estava programada para retirar 43 mil metros cúbicos de areia, com um custo de serviço de R$ 299 mil, recurso do Governo Federal com contrapartida do município.

Os trabalhos iniciaram nos primeiros dias de junho deste ano.

Em meados de setembro foi retirada a areia acumulada no açude preparado temporariamente ao lado do Centro Administrativo Tordesilhas. É o chamado bota-fora, no jargão da área.

O material foi usado pela prefeitura nas vias públicas, informou a secretaria de comunicação social em nota postada posteriormente em 04 de outubro.

Mas antes disso as máquinas já haviam sido paralisadas.

 

 

Biguás e gaivotas fazem hoje da draga o seu refúgio predileto.

 

 

 

+++

Soube que o motivo da paralisação da dragagem teria sido o destino incerto de um novo bota-fora da areia. Não há interesse da prefeitura em nova utilização do material.

Como assim? O macaco aqui quer saber: mas no contrato que foi assinado não estava previsto o destino do material? De quem seria a responsabilidade pela sua retirada? Não há nenhuma sanção pelo atraso? Ou o problema estaria na contrapartida do município?

Quem explica?

+++

 

Prefeitura agora quer comprar uma draga

Alguém lá na prefeitura não deve ter gostado muito dessa coisa de contratar empresa para serviços de dragagem.

Esse mesmo alguém deve ter se questionado: por que não podemos ter uma draga própria para podermos chamar de nossa? Nossa eu digo do município da Laguna, evidentemente.

 

Pois a prefeitura da Laguna informa em seu site que no próximo 23 de novembro irá realizar pregão presencial para aquisição de uma draga de sucção e recalque.

“A draga a ser comprada será usada para desassoreamento de canais que fazem ligação para a lagoa Santo Antônio dos Anjos, canal que dá acesso às lagoas da Madre e Parobé, além de dar suporte para pequenas dragagens no município.

A patrulha de dragagem tem recursos do Ministério da Pesca e contrapartida da prefeitura”.

+++

 

 

 

 

P S: E aí leitor, vai que numa dessas, de repente, não mais que de repente, como no soneto do poetinha, a prefeitura no próximo dia 23 adquira justamente a Santa Paulina, a draga que está hoje em exposição ali atrás do Mercado Público. Já está em casa mesmo.



Escrito por valmir guedes júnior às 08h26
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


 
Histórico
Outros sites
  Blog do valmir 1ª fase
  Blog da Jacque
  Governo de SC
  Prefeitura da Laguna
  Camara de Vereadores da Laguna
  UFSC
  UDESC
  Site do Ribeirão Pequeno
  Caros Ouvintes
  Jornal A Crítica
  Jornais/Revistas no Mundo
  Site do GÊ
  Site dos Enfermeiros da Alegria
  Blog do Gero
  Blog do Quarteto Opus 4
  Site Memória Viva
  Blog do Peterson
  Blog da Eliana
  Escola Jerônimo Coelho
  Blog do Agilmar
  Site do André Luis
  Blog do Fernando Faria - Coisarada
  Rádio Difusora da Laguna
  Rádio Garibaldi da Laguna
  Rádio FM Vitória Laguna
  Site Artesanato Nossa Terra
  Rádio FM Transamérica Laguna
  Site Coracional
  Tainha na rede - o Blog da tainha
  Jornal O Correio
  Blog da Cláudia
  Blog da Grasi
  Blog da Sandra
  Hospital da Laguna
  Minha Laguna
  República dos autores
  Blog do Lougans
  Blog Diario do litoral sul - Marcelo Becker
  Blog do Orlando Machado
  Farol Imagem
  Blog do Lameira
  Cineclube Laguna
  Blog do Renato Souza
  Blog do Vanio Santos
  Blog do Barreiros
  Blog do Ceja - Laguna
  Revista Saber
  Blog do Júlio Vicente - Cetáceos
  Banda Senta a Pua
  Blog do Dison
Votação
  Dê uma nota para meu blog